Efemérides

Celebrar a Liberdade

Publicado em Atualizado em

Resultado de imagem para cravos 25 de abril

   Quarenta e três anos depois, cumpre-nos, aos que dele se viram privados e, talvez por isso, mais valor lhe sabem atribuir, como bem adquirido, e aos que dele têm usufruído como bem garantido, continuar a zelar por um valor tão fundamental a todos, a liberdade.

   Acedendo ao convite dirigido pela Assembleia Municipal aos alunos do nosso Agrupamento de Escolas, alguns membros do CLIC (Joana Reis, Mariana Costa, Filipa Bogalho, Matilde Lourenço e Rodrigo Santos) estiveram presentes nesta sessão evocativa, dizendo alguns poemas de José Jorge Letria e Manuel Alegre alusivos ao tema e à efeméride. Participaram também nesta sessão, como convidados, alguns elementos do Clube Sénior Sobral Ativo e alunos da Escola de Música da Sapataria.

Abril de Abril

Era um Abril de amigo Abril de trigo
Abril de trevo e trégua e vinho e húmus
Abril de novos ritmos novos rumos.

Era um Abril comigo Abril contigo
ainda só ardor e sem ardil
Abril sem adjectivo Abril de Abril.

Era um Abril na praça Abril de massas
era um Abril na rua Abril a rodos
Abril de sol que nasce para todos.

Abril de vinho e sonho em nossas taças
era um Abril de clava Abril em acto
em mil novecentos e setenta e quatro.

Era um Abril viril Abril tão bravo
Abril de boca a abrir-se Abril palavra
esse Abril em que Abril se libertava.

Era um Abril de clava Abril de cravo
Abril de mão na mão e sem fantasmas
esse Abril em que Abril floriu nas armas.

Manuel Alegre

25 de Abril

Abril de Sim Abril de Não

Eu vi Abril por fora e Abril por dentro
vi o Abril que foi e Abril de agora
eu vi Abril em festa e Abril lamento
Abril como quem ri como quem chora.

Eu vi chorar Abril e Abril partir
vi o Abril de sim e Abril de não
Abril que já não é Abril por vir
e como tudo o mais contradição.

Vi o Abril que ganha e Abril que perde
Abril que foi Abril e o que não foi
eu vi Abril de ser e de não ser.

Abril de Abril vestido (Abril tão verde)
Abril de Abril despido (Abril que dói)
Abril já feito. E ainda por fazer.

Manuel Alegre

Anúncios

Dia Mundial do Livro

Publicado em Atualizado em

Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor

   O Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor celebra-se hoje, em todo o mundo. Em Portugal, a efeméride associa-se aos 150 anos da abolição da pena de morte, por proposta da Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB).

   Para assinalar este dia, desafiamos um grupo de ex-alunos deste Agrupamento (de diferentes gerações e com diversos percursos formativos e profissionais)  a darem testemunho da sua relação com os livros ao longo do seu percurso de vida. Eles estão chegando, por isso não poderão ser disponibilizados ainda hoje, mas muito em breve (próxima semana)… São  atualmente, felizmente, pessoas muito ocupadas, daí nem todas terem tido oportunidade de poder corresponder (apesar da boa vontade manifestada), ou de fazê-lo até à presente data. Aguardem! Vai valer a pena e contribuirá, esperamos, para inspirar quem lhes quiser seguir os passos no caminho do conhecimento.

   Entretanto, leiam, leiam muito, sempre…

desde cedo, porque…

Tempo de Poesia

Publicado em Atualizado em

Viagem pela Lusofonia

Na noite do dia 24, o nosso Agrupamento e o Clube Sénior Sobral Ativo quiseram, mais uma vez, homenagear a língua portuguesa, na expressão de tantos poetas que através de várias vozes se nos apresentaram. Desta feita, com diversos timbres, tons, cheiros e sons, de várias latitudes e longitudes (isso mesmo, no espaço e no tempo). Convidamos vários amigos que acederam ao desafio lançado e, juntos, recordamos momentos importantes, para o nosso país e para os países lusófonos com quem mantemos um laço indelével.

  

Se numa palavra quiséssemos descrever este serão, talvez  UNIÂO fosse a que melhor lhe assentasse. União de gerações, de antigos e atuais alunos do nosso Agrupamento, de professores, de forças vivas da terra, de manifestações artísticas diversas, de familiares, amigos e colegas. De gente de boa vontade, que gratuita e generosamente ofereceu o seu tempo, conhecimentos  e aptidões, com prazer, procurando assinalar o Dia da Poesia e proporcionar um serão diferente a quem se nos quis juntar.

Bem haja a todos os que nos acompanharam! E viva a Poesia!!!

 

                             

 


Semana da Leitura

Publicado em Atualizado em

Exposições 3D

 

A propósito da Semana da Leitura e do estudo das obras A Viúva e o Papagaio, de Virgínia Wolf, e Ulisses, de Maria Alberta Menéres, estudadas no 2º Ciclo de escolaridade na disciplina de Português, as respetivas docentes desafiaram, mais uma vez, os seus alunos a apresentarem alguns trabalhos em formato 3D e foi o que se viu. Criatividade à solta e, de novo (e ainda bem!), a nossa Biblioteca e “Vitrinas do Saber” invadidas por ciclopes, sereias, viúvas, papagaios  e outros afins. Trabalhos fantásticos! Muitos parabéns!

IMG_1612 IMG_1614

IMG_1619IMG_1620

Dia Mundial do Teatro

Publicado em Atualizado em

‘bora lá!

teatro1teatro2

 “O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana.”

                                                                                                Federico García Lorca

As propostas são muitas e hoje, em muitos teatros do país, a entrada é gratuita. Só bons motivos para ir. Para além de que não corremos riscos porque, como diz Carlos Drummond de Andrade,  “Ir ao teatro é como ir à vida sem nos comprometer.”.

Um clássico a propósito

Publicado em

Clube dos Poetas Mortos

Hoje, na nossa biblioteca, enquanto recebíamos (e vamos continuar a receber durante esta semana) várias turmas no decurso da atividade que propusemos – “Poetar” (ler, ouvir, dizer, criar poesia), não pude deixar de me recordar de um filme que está no topo da lista de muitos de nós, por todas as razões e mais alguma.  Naturalmente, também porque qualquer professor de língua e literatura terá, certamente, a imagem do professor  John Keating  como referencial, desejando poder despertar nos alunos aquela centelha de paixão que ele acendeu, pela leitura, pela poesia, pelo conhecimento, pela descoberta… Como escreveu Camões, “Quem não sabe arte não na estima”, por isso perseveramos, crendo que há coisas que “Primeiro estranha-se, depois entranha-se” (Fernando Pessoa).

A título de sugestão a propósito do Dia que hoje se assinala (para conhecer ou recordar).

Dia Mundial da Poesia

Publicado em Atualizado em

“A Poesia é a música da alma”

Dia Mundial da Poesia e da Árvore e da chegada da Primavera. Feliz aliança, natureza e poesia!

Tantos já proclamaram, como Voltaire, que aqui citamos (“A Poesia é a música da alma”) , o seu amor à poesia e à palavra, sobretudo às “[…]palavras que nos beijam/Como se tivessem boca./Palavras de amor, de esperança,/De imenso amor, de esperança louca.” (Alexandre O’Neill). Contudo, são, com certeza, os próprios poetas com as suas criações quem melhor homenageia a arte da perfeita conjugação entre a palavra e a emoção.

Porque felizmente somos, efetivamente, um país de poetas (de dimensão supra-nacional),  aqui ficam apenas alguns excertos de belíssimos poemas escritos na nossa língua.

“Original é o poeta
que chega ao despudor
de escrever todos os dias
como se fizesse amor.”

José Carlos Ary dos Santos, “O Poema Original”

“Que o poema vista de domingo cada dia
e atire foguetes para dentro do quotidiano.
Que o poema vista a prosa de poesia
ao menos uma vez em cada ano.”

Manuel Alegre, “Poemarma”

“Poeta não é gente, é bicho coiso

Que da jaula ou gaiola vadiou

E anda pelo mundo às cambalhotas,

Recordadas do circo que inventou.”

José Saramago, “Circo”

“Ser Poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!”

Florbela Espanca, “Ser Poeta”

“Somos nós
As humanas cigarras.
Nós,
Desde o tempo de Esopo conhecidos…
Nós,
Preguiçosos insectos perseguidos.”

Miguel Torga, “Aos Poetas”

“Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.”

Cecília Meireles, “Motivo”

Disse Manuel Alegre: “O poder financeiro domina a economia, a política, os meios de comunicação social. Impôs ao Mundo uma hegemonia ideológica e cultural. Os mercados sobrepõem-se aos próprios Estados. Até a linguagem está invadida pela cultura dos números e pelo império do dinheiro. Descontaminar a linguagem e restituir às palavras o seu sentido. Eis o que pode fazer a poesia.” Segue-se um link acompanhado de um convite para escutarmos uma voz jovem, de Pedro Lamares (apresentador do Programa “Literatura Aqui”, RTP2), que professa a sua devoção a esta arte e que, por palavras semelhantes nos transmite ideia similar à de Manuel Alegre.

E alguns outros poemas, ditos por vozes sobejamente conhecidas e reconhecidas, como Mário Viegas, Ary dos Santos, João Villaret, ou por outras vozes mais recentes (youtuber, rapper, ator/apresentador), talvez familiares a algumas faixas etárias mais jovens e que demonstram que a poesia é vida, sentimento, mas também boa disposição e  diversão.

Desfrutem e FELIZ DIA MUNDIAL DA POESIA!