Testemunhos

Publicado em Atualizado em

Na 1ª pessoa

   No dia 11 de maio, o grupo de História convidou três ex-presos políticos da Associação Anti-Fascistas Portugueses que viveram da pior forma o tempo da ditadura salazarista a virem até à nossa escola partilhar algumas das suas vivências. O senhor José Ernesto Cartaxo esteve em sala de aula com algumas turmas e os senhores José Marcelino e Carlos Baptista estiveram na nossa biblioteca, onde recebemos várias turmas de 3º ciclo e secundário. Aqui, contaram-nos algumas das experiências por que passaram e responderam a questões colocadas pelos alunos.

IMG_1911

   De tal experiência, quer do seu quotidiano diário em “liberdade” quer dos tempos de clausura, nos deram testemunho na nossa biblioteca e responderam a dúvidas e curiosidades dos nossos alunos. Tivemos também oportunidade de assistir a registos fotográficos disponíveis sobre os acontecimentos relatados.

IMG_1913

Também as famílias acompanharam estes tempos difíceis e uma esposa presente contou-nos também parte do que passou.

Certo é que se subsistiram memórias dolorosas, também permaneceram amizades, cujos laços se estreitam em tempos de crise, que se mantêm até hoje.

Anúncios

Margarida Botelho na EB de Sapataria

Publicado em

A Biblioteca Municipal (BM) proporcionou, aos alunos do 1º Ciclo, “Encontros com escritores”, na biblioteca de cada uma das escolas básicas do nosso Agrupamento.

Foi um sucesso o encontro com a autora Margarida Botelho. Explicou como surgem normalmente as suas obras e a técnica que usa nas ilustrações.

A obra que explorou na Biblioteca Escolar da Escola Básica de Sapataria foi “Lia / Lya”. Esta e outras das suas obras têm uma particularidade interessante: a ação passa-se em dois locais distintos, com personagens próprias de cada um desses locais. Conhecemos, então outros mundos e culturas, sem viajar.

Os alunos gostaram tanto que têm requisitado livros desta autora. Assim, continuamos com a parceria entre as bibliotecas escolares (BE) e a municipal. A PB requisita, na BM, os livros que não temos, para gozo dos alunos (e não só).

Convite à leitura

Publicado em

Cestas literárias

Expostas ontem na EBS, convidando a folhear, recordar, conhecer, ler, requisitar.

Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor

Publicado em

O Prazer de Ler

Já tanto se disse sobre a importância da leitura. Contudo, optar por ler ou não constitui um ato de liberdade individual e, sabemos, as nossas opções têm implícitas, naturalmente, repercussões. Adianta recordar alguns dos benefícios da leitura? Talvez… e entre outros, na dúvida, aqui ficam alguns:

Viajar sem custos e sem sair fisicamente de um lugar          Reduzir o stress

Ajudar a compreender a realidade                     Abrir a mente

Ajudar a dormir melhor                      Reduzir sensações de depressão ou solidão

Argumentar e defender ideias e opiniões         Prevenir doenças como o Alzheimer  …

13741040_1188809441177099_1295685558_n

Miguel Esteves Cardoso, numa das crónicas do seu livro A Causa das Coisas, reflete e procura compreender os reduzidos hábitos de leitura dos portugueses. Da mesma, aqui se partilha um excerto:

“De todo o tempo que perdem os portugueses, não há eternidade como o tempo que perdem a não-ler. Durante o Verão, o país enche-se de turistas estrangeiros e quase todos – seja na praia, seja no hotel – andam quase permanentemente com um livro na mão. Esta estranha proclividade deixa o português perplexo: «Estes bifes são todos malucos – pagam um balúrdio para cá virem e depois, em vez de aproveitarem, passam o tempo todo a ler… Até usam o livro aberto para marcar os lugares!».
É o facto cultural mais assustador de todos – os portugueses não leem livros. Em nenhum outro país da Europa é tão raro ver alguém a ler um livro em público. Causa genuína aflição vê-los a não-ler. Na praia, nas salas de espera, nos comboios, enquanto almoçam sozinhos, nos cafés… em toda a parte se vê uma população atarefadamente dedicada à atividade de não-ler. Porque é que não aproveitam estes tempos mortos? Não se sabe. […]”

Numa relação fácil de estabelecer entre leitura e liberdade, dia que se assinala na próxima quarta-feira, recorda-nos, também numa crónica, Faíza Hayat:

“[…] A maioria dos ditadores odeia livros. Muitos foram aqueles que, ao longo da História, os queimaram em praça pública. Os tiranos sabem que os livros são uma ameaça ao seu poder, porque nos aproxima do Outro, e a maior parte das ditaduras assenta no ódio a terceiros; e porque, além disso, nos ensinam a questionar. […]”

10409008_719988511384433_1677968079636002461_n

 

Ateliê de Ilustração

Publicado em Atualizado em

… com Danuta Wojciechowska

No passado dia 19, 30 alunos do AEJICS do 8º e 9º anos de escolaridade tiveram a oportunidade, proporcionada pela Biblioteca Municipal e em articulação com a Biblioteca Escolar e a disciplina de Educação Visual, de frequentar um Ateliê de Ilustração com Danuta Wojciechowska.

Danuta Wojciechowska possui formação em Design de Comunicação, pela Escola Superior de Design de Zurique, com pós graduação em educação pela arte na Emerson College, Inglaterra. Especializando-se na criação e edição de conteúdos dirigidos aos mais novos, ilustrou mais de 60 livros, jogos e manuais escolares. Premiada, entre outros, com o Prémio Nacional de Ilustração (2003), foi-lhe atribuída a distinção “Mulheres Criadoras de Cultura” (2014) pelo Governo de Portugal. Nesse mesmo dia, a autora e ilustradora estaria, da parte da tarde, no Museu da Água no lançamento do seu último livro, Água Doce.

aguadoce

Os alunos, orientados pela ilustradora, foram desafiados, a fazer um trabalho de ilustração do alfabeto, à semelhança de um trabalho desenvolvido pela autora, que explicou o que usar e como fazer. Os alunos envolveram-se na tarefa e apresentaram as suas propostas.

A exposição de ilustração de Danuta Wojciechowska estará patente na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal até ao final do mês de abril.

Aprendizagens e diversão na BE da EB de Sapataria

Publicado em

Partimos de um livro, dos muitos escritos por Luísa Ducla Soares. As lengalengas facilitam a interação. Explora-se significado e o sentido das palavras; enriquece-se vocabulário; falamos, caraterizamos e imitamos animais; partilhamos vivências; e … também exercitamos a nossa concentração.

Tudo é crescer e aprender.

Ainda a IV Tertúlia Infantil

Publicado em

 

A pedido de várias famílias, aqui está o folheto elaborado pela Drª Patrícia Soares, no 1º Período, no início do nosso projeto “Como, porque me faz bem”.

Bom proveito! E para abrir o apetite estimular a curiosidade, acrescenta-se uma imagem das ricas bolachinhas que degustámos (e recebemos a receita!), no serão da 6ªf, 13 de  abril.

 

 

 

Informo que há mais fotografias, que poderão interessar, nomeadamente aos pais e mães, não só pelos seus “rebentos”, mas por eles próprios. Quem vos viu e quem vos vê! (Gostoso!)